Tudo sobre cruzeiros: dicas, notícias e curiosidades!

Categoria: Princess Cruises

História

Texto e Imagens por Daniel Capella

A Princess Cruises é uma das mais tradicionais companhias de cruzeiro da atualidade, e uma das inventoras do conceito moderno de viagens de navio. Essa ideia, como conhecemos hoje, surgiu na década de 60, mesma época em que a Princess chegou ao mundo. Fundada na Califórnia, a companhia norte-americana entrou no mercado em 1965, com o fretamento de um navio, o Princess Patricia.

Propriedade da Canadian Pacific Line, o Princes Pat, como era conhecido, foi o responsável por dar esse nome para a companhia. Fretado por Stanley McDonald, empresário do setor de logística e fundador da Princess, o navio foi destinado a roteiros pela Riviera Mexicana, a partir do porto de Los Angeles, nos EUA. Os cruzeiros foram um sucesso, mas o navio não era ideal para viagens em áreas tropicais, já que tinha sido projetado para navegar no Alasca.

Assim, a Princess resolveu fretar outra embarcação, o Italia, que era propriedade da então Linea C, hoje Costa Crociere. A embarcação, mais adequada à Costa Oeste dos EUA, foi renomeada Princess Italia, criando assim a marca registrada da Princess Cruises, de batizar seus navios como “princesas”.

Ainda nos anos 70, McDonald vendeu a Princess para o grupo P&O, do Reino Unido. Na época, a P&O era a maior empresa de navegação do mundo, com mais de 320 navios, entre os que serviam a divisão de carga e os que serviam a divisão de passageiros. Com o apoio da multinacional britânica, a Princess cresceu exponencialmente, e ajudou a inventar o conceito moderno de cruzeiros. Ainda nos anos 70, foi palco da série de TV norte-americana Love Boat, que ajudou a popularizar o seguinte, e tornou a companhia a mais popular do mundo na época.

A série da ABC foi inspirada em um livro escrito por uma ex-diretora de cruzeiros da própria Princess. Assim, passou a ser filmada a bordo dos navios da companhia, que à epoca já navegavam por todo o mundo. Sucesso estrondoso na época, a comédia familiar estreou em 1976, ficou no ar por mas de dez anos, e ainda hoje é reprisada por canais do mundo todo. Os principais navios utilizados pela equipe de TV foram o Island Princess e o Pacific Princess, dois dos mais emblemáticos navios da Princess, construídos na década de 70, mas aposentados pela companhia apenas nos anos 2000, devido a popularidade que tinham.

Após crescer, inaugurar diversos navios, comprar outras companhias de cruzeiro, expandir seus roteiros para os quatro cantos do mundo, e entrar no imaginário de milhões de pessoas ao redor do mundo, a Princess passou a ser parte do grupo Carnival em 2003. A mudança administrativa foi parte da fusão entre o grupo P&O Princess e a Carnival Corporation – que passou a ser o maior grupo de cruzeiros do mundo, na época com 11 diferentes marcas e dúzias de navios.

Esse episódio da história da Princess é curioso devido a sua importância para o mercado de cruzeiros mundial, e as reviravoltas pelas quais passou. Antes de se fundir à Carnival Corporation, o grupo P&O Princess negociou com o grupo Royal Caribbean Cruises, detentor de marcas como a Royal Caribbean International e a Celebrity Cruises. Se tivesse se concretizado, a fusão tornaria o grupo Royal Caribbean – e não a Carnival Corp – o maior grupo de cruzeiros do mundo. Mas o negócio não decolou e outra opção chegou a ser considerada. Então forte e em crescimento, a européia Festival Cruises chegou a negociar com a Princess, mas o negócio também não foi paa a frente. Tendo sucedido, a Festival e a P&O Princess criariam uma quarta força no mundo dos cruzeiros, com frota e representatividade suficientes para enfrentar a Carnival Corp, a Royal Caribbean e o grupo Norwegian Cruise Line.

Hoje, a Princess possui uma frota de 18 navios, que variam em tamanho. O menor é o novo Pacific Princess, com cerca de 30,000 toneladas, e o maior o Majestic Princess, que desloca mais de 140,000 toneladas. Com o inglês como língua principal a bordo, a Princess serve o mercado internacional e tem foco principal nos mercados da Costa Oeste dos EUA, Alaska, Ásia, Austrália e Caribe.

Estilo e Características

A Princess Cruises oferece uma experiência de cruzeiro mais tradicional e de qualidade elevada. São viagens mais voltadas ao relaxamento e ao serviço de bordo. A culinária é de alto nível, e vários restaurantes estão disponíveis a bordo dos navios. Muito deles são de especialidade, como a churrascaria Crown Grill e o italiano Sabatini’s. O serviço é de alto nível, com um número de tripulantes maior que a média e os itinerários são diferenciados, escalando, muitas vezes, portos exclusivos e pouco explorados.

A língua principal a bordo é o inglês, e a maior parte dos passageiros é originária dos EUA, Austrália e Reino Unido. A exceção são as temporadas em países como o Japão e a China – que são voltadas principalmente aos públicos locais. A Princess recebe, no entanto, um grande número de passageiros de outras nacionalidades em seus roteiros ao redor do mundo. Assim, há atenção especial também para outros públicos como o brasileiro.

Companhia tradicional, a Princess exige roupas mais refinadas durante a noite, mantendo a tradicional atmosfera dos cruzeiros marítimos.

Apesar de também operar navios de grande porte, a Princess mantem uma atmosfera intimista a bordo, com projetos que priorizam diversas áreas públicas de menor porte, em detrimento de áreas públicas menos numerosas e maiores. Assim, a companhia cria um ambiente semelhante ao dos navios menores, mesmo em navios com capacidade para mais de quase 4,000 passageiros. O serviço pessoal e atencioso da tripulação também ajuda nessa impressão.

Ainda que mais tradicional, a Princess tem implementado novidades em sua frota, lançando conceitos e atrações. Uma delas é o SeaWalk, uma passarela de vidro suspensa na lateral do navio, os espetáculos de águas dançantes da área da piscina da classe Royal e o Movie Under the Stars, cinema a céu aberto que foi primeiro introduzido pela Princess, e depois aproveitado também por outras empresas.

Destinos de Atuação

A casa da Princess é a Costa Oeste da América do Norte. A companhia opera uma infinidade de roteiros a partir dos portos de San Francisco, Los Angeles, Seattle e Vancouver. Os destinos visitados a partir destes portos variam; alguns navios eguem rumo a sul para a Riviera Mexicana, outros navegam para o norte visitando o Alaska, e ainda há aqueles que partem rumo a Oeste para o Havaí.

As temporadas do Alaska, inclusive, são destaque para a Princess, que conta com vários navios nessa região entre meados de abril e setembro.

Por estratégia do grupo Carnival, a Princess concentra também suas forças na região da Ásia e do Pacífico Sul. Três navios da companhia navegam a partir da Austrália durante o ano todo, para roteiros com escalas na Nova Zelândia e em outras ilhas da região. Alguns chegam a visitar o sul da Ásia, passando por portos na Indonesia e Singapura, por exemplo. A Ásia, no entanto, tem também seus navios “residentes”; a companhia costuma basear navios no Japão, Singapura, China e Taiwan, servindo principalmente os mercados locais, mas também o público internacional.

A Princess ainda atua no Caribe, com roteiros a partir dos EUA. O destaque nessa região são os cruzeiros com passagem pelo Canal do Panamá, que partem de Fort Lauderdale. Na Europa, serve o mercado britânico com cruzeiros a partir de Southampton, e também o público internacional com roteiros pelo Mediterrâneo e Norte da Europa.

A companhia ainda tem presença significativa na costa leste dos EUA, visitando o Canadá, a Nova Inglaterra e as Bermudas. Outro destino é a América do Sul, onde a Princess navega sazonalmente, sempre com roteiros pela Patagônia e Terra do Fogo.