Tudo sobre cruzeiros: dicas, notícias e curiosidades!

Categoria: Holland America Line

História

Texto e Imagens por Daniel Capella

Com quase 150 anos de história, a Holland America Line (HAL) é hoje uma das maiores companhias de cruzeiro premium do mundo. Parte da Carnival Corporation, que controla dez cruise lines, é parte do maior conglomerado de cruzeiros do mundo. Originária da Holanda, a companhia é sediada desde 1989 em Seattle, nos EUA.

No ano em que deixou a Europa, passou a ser propriedade da Carnival Corp, e hoje lidera uma das subdivisão do grupo que inclui também a Seabourn, a Princess Cruises e a P&O Australia. Operando uma frota de 14 navios, oferece cruzeiros upscale, com roteiros mais longos, ao redor de todo o mundo. São viagens mais luxuosas e tradicionais, voltadas a um público mais maduro e viajado. O principal mercado da HAL é o Alaska, que concentra a maior parte dos navios da marca durante o verão local.

Quando surgiu, entretanto, a Holland America era uma companhia  bem diferente. Fundada em 1873, a Holland America tinha sede no porto de Rotterdam, na Holanda. Inclusive, o prédio construído pela empresa ainda existe e hoje serve como o hotel New York! Na época, a companhia operava linhas comerciais regulares entre a Holanda e diversos pontos do mundo. A princípio, as rotas eram apenas para passageiros, mas depois passaram a incluir também o transporte de carga. A América do Norte era o principal destino dos navios da companhia, que chegou a ter um píer no porto de Nova Iorque.

Como Holland America Line, a empresa surgiu da reorganização de uma empresa anterior, a Plate, Reuchlin & Co. Por muitos anos, sua principal linha foi a que partia de Rotterdam e chegava em Nova Iorque após cerca de 15 dias. Com navios célebres e regularidade a linha foi responsável pelo transporte de milhares de imigrantes holandeses para a América.

Com os anos, a HAL foi acrescentando outras linhas e regiões a seu catálogo, incluindo até mesmo a América do Sul. Em 1895, a companhia foi pioneira na realização de cruzeiros, passando a oferecer também viagens de lazer. Contempo- rânea de célebres companhias de navegação como a Cunard Line, a White Star Line e a Italian Line, a Holland America teve também seus navios utilizados militarmente nas duas grandes guerras, perdendo mais da metade de sua frota entre 1939 e 1945.

No final dos anos 1950, a companhia inaugurou o navio que foi, talvez, o mais famoso de toda a sua história, o Rotterdam (V), visto na foto ao lado. Mas começou a ver seu império desvair. Com o advento das viagens aéreas, a demanda pelas linhas marítimas caiu vertiginosamente, e a companhia se viu obrigada a estudar alternativas. No começo dos anos 1970, acabou encerrando as viagens regulares, passando a dedicar sua frota de passageiros apenas a cruzeiros. Ainda na década de 70, a divisão que operava carga foi vendida, já que a administração da companhia concluiu que não era possível focar nos dois negócios simultaneamente.

Assim, a reinventada HAL conseguiu capital para investir em sua frota e transformar sua operação para os novos tempos que chegavam. Investindo na reforma de sua frota de transatlânticos de linha, e expandindo a frota com novas construções e navios de segunda mão, a companhia passou a tentar se fortalecer em novos mercados, como o norte-americano. Destinos novos também estavam na agenda, da empresa, e o Alaska acabou sendo uma das grandes apostas da HAL.

Percebendo uma oportunidade, a companhia acabou adquirindo outros operadores no Alaska, e controlando também hotéis e organizadores de excursão. Assim, podia oferecer um pacote completo de férias completo nessa região dos EUA, sem depender de terceiros. Dessa forma, o Alaska acabou se tornando o principal mercado da HAL. Rentável, a operação levou a companhia a se expandir e, até mesmo, adquirir outras cruise lines nos anos 80: a Windstar Cruises e a Home Lines.

No final dos anos 80, no entanto, com o advento das companhias de cruzeiro populares, o produto da Holland America começou a ser considerado ultrapassado, e os clientes aos poucos sumiram. Sem conseguir aumentar sua base de clientes, a empresa acabou sendo adquirida pela Carnival Cruise Line em 1989. Em franca expansão, a Carnival buscava entrar também no mercado de cruzeiros premium, e contava com dinheiro em caixa, após abrir capital na bolsa de valores de Nova Iorque dois anos antes.

Assim, a HAL teve de se reinventar mais uma vez. Modernizar sua frota, melhorando o padrão de sua oferta e aperfeiçoando seu negócio,  a companhia chegou aos dias atuais como uma das maiores companhias de cruzeiro no segmento premium. A Holland America inaugurou oito navios desde o começo dos anos 2000, e mais recente inaugurou o Koningsdam, que representa a entrada da empresa no futuro.

Estilo e Características

Oferecendo uma experiência de cruzeiro mais tradicional, a companhia opera navios de médio porte. Os navios mais novos são maiores, mas seguem com tamanho médio, não excedendo as 99 mil toneladas brutas. Lembrando que o conceito de tonelagem bruta refere-se, na verdade, à volume, não a peso. Ou seja, trata de tamanho. Quando consideramos que a média dos navios sendo construídos nos últimos anos é de 140 mil toneladas brutas, e que o maior navio do mundo possui 220 mil toneladas brutas, percebe-se o diferencial da HAL.

Com navios menores, a companhia foca em conceitos consagrados para suas atrações a bordo. Lounges de dois andares, com grandes pistas de dança, muitos restaurantes (incluindo vários de especialidade), salões de observação e belas piscinas são algumas das atrações de destaque. Tudo isso aliado àquilo que normalmente é encontrado nos navios: spa, casino, lojas, teatro, e mais.

Mas com um grande diferencial: serviço de primeiro nível, produtos luxuosos e foco na experiência cultural. A primeira coisa que o passageiro irá notar é que há uma gama maior de serviços incluídos no valor do cruzeiro do que nas companhias padrão. Ilustrando: aquela limonada durante o almoço, ou o sorvete no fim da tarde, não serão pagos a parte. No banheiro da cabine, você irá encontrar amenidades de primeira qualidade, e mais.

São pequenos detalhes, mas são justamente eles que fazem a diferença e tornam as experiências a bordo ainda mais únicas. Falando em experiência, a companhia ainda traz tripulantes a bordo do que a média do mercado. Isso significa que haverão mais funcionários a bordo para garantir que seu cruzeiro seja perfeito, e a experiência a melhor possível!

A Holland America Line ainda foca na experiência cultural, com palestras de especialistas a bordo, e material especialmente desenvolvido para levar conhecimento aos passageiros. Há guias dos portos de escala, natureza local, e mais. Muito do material foi elaborado em parceria com o jornal The New York Times, que tem parceria com a Holland America há vários anos.

A maior parte dos navios ainda conta com o Explorer’s Lounge, local que sintetiza a proposta cultural da companhia, e com material do New York Times e computadores para acesso à internet (mediante pagamento).

Destinos de Atuação

A Holland America Line navega por todo o mundo. Sua frota de 15 navios visita praticamente todos os destinos acessíveis aos cruzeiros. O principal destino da companhia, no entanto, é o Alaska. Lá, mais da metade da frota da HAL se reúne na época dos verões locais, oferecendo cruzeiros que partem de Seattle, Vancoucer e outras cidades do próprio Alaska.

A temporada na região se estende entre o final de abril e o começo de outubro, mesma época da alta temporada européia. Por falar em Europa, a Holland America Line também é tradicional por lá, operando na alta temporada no Mediterrâneo e no Norte da Europa. Os principais portos de embarque na Europa são Barcelona, Civitavecchia, Rotterdam, Amsterdam e Veneza.

Na foto ao lado, o Nieuw Amsterdam deixando o porto de Veneza, na Itália –>

A companhia ainda tem presença forte na costa leste dos EUA, com roteiros a partir de Nova Iorque e Boston rumo à Bermuda e também ao Canadá & Nova Inglaterra. A partir dos Estados Unidos, a HAL ainda visita o Caribe, em diversos roteiros na alta temporada local.

Outros destinos incluem a Costa Oeste dos EUA, com cruzeiros ao México e Havaí, a Austrália, a Ásia e a América do Sul. Nesta última, a companhia opera na Patagônia e Terra do Fogo, com roteiros que, as vezes, partem também do porto do Rio de Janeiro, no Brasil.

Para conferir todos os roteiros da Holland America, visite a área da companhia em nosso site principal, neste link.